A HISTÓRIA DE 6 ESTAMPAS ICÔNICAS


Vemos alguns tipos de estampas de forma tão frequente que nem paramos para pensar em como elas foram criadas ou no porquê de serem tão famosas. Algumas eram apenas mais um tipo de tecelagem até se tornarem icônicas graças a estilistas renomados, enquanto outras foram criadas por grandes grifes para serem desejadas e imitadas.

XADREZ BURBERRY 

Divulgação

O tartan era parte da cultura do Reino Unido por representar clãs escoceses, mas a padronagem em bege, branco, preto e vermelho foi criada e patenteada pela marca em 1924. Ela aparecia, principalmente, no forro dos famosos casacos da Burberry, principalmente no trench coat. Porém, com o tempo, a estampa virou identidade da grife e ganhou espaço em cachecóis, guarda-chuvas e outros acessórios.

PADRONAGEM LOUIS VUITTON

Divulgação

O monograma e as flores que estampam malas e acessórios da marca foram criados em 1896 para impedir que os produtos do artesão francês Louis Vuitton fossem falsificados no resto da Europa. A padronagem era, inicialmente, restrita ao interior dos produtos de couro, mas, com o sucesso da grife, ela acabou estampando a parte de fora de bolsas da moda.

ZIG ZAG MISSONI

Divulgação

A estampa geométrica, que surgiu pela primeira vez na coleção de Inverno 1967 da marca, foi criada a partir do experimento de Ottavio e Rosita Missoni, que usaram máquinas de tecelagem para criar formas triangulares multicoloridas. A padronagem foi tida, na época, como uma obra de arte e se tornou ícone da grife italiana.

PUCCI

Divulgação

As multicoloridas padronagens geométricas ou em forma de "amebas" foram criadas nos anos 50 pelo italiano Emilio Pucci, o Príncipe das Estampas. A identidade visual da grife, cuja loja principal ficava na Ilha de Capri, inspirou o logotipo da expedição Apollo 15 e esteve no estofamento do Lincoln Continental, icônico carro da Ford.

PIED DE POULE

Reprodução/Instagram

O xadrez tipo "pé de galinha", já que a imagem criada pelo entrelaçamento dos fios de urdume são semelhantes aos pés de uma ave, foi muito usado pela aristocracia britânica dos séculos 19 e 20. Porém, a padronagem foi eternizada no mundo da moda graças à francesa Coco Chanel, que a usou em seus ternos femininos de tweed, revolucionando o vestuário dos anos 1920.

VICHY

Reprodução

O quadriculado tipo "toalha de piquenique" foi batizada em referência à cidade francesa de Vichy, conhecida pelos tecidos xadrezes. A estampa queridinha das pinups ficou muito popular no fim dos anos 50, quando Brigitte Bardot usou um vestido com a padronagem em seu segundo casamento.