Empreendedoras apostam em originalidade brasileira na SPFW


Pequenas empresas conciliam sustentabilidade e inovação para chamar a atenção no maior evento de moda do país

Lenço da Tropicale (Foto: Divulgação/Tropicale)

Em um mercado onde quem dita as tendências são as grandes marcas e grifes internacionais, 24 pequenas empresas procuram maneiras de chamar a atenção dos fãs de moda com peças originais e tipicamente brasileiras. Elas participam do projeto Contextualizar na Moda II e expõem seus produtos na 40º edição da São Paulo Fashion Week que acontece até o dia 23 de outubro na capital paulista.

A oportunidade de dividir espaço com marcas renomadas como Colcci, Osklen e Animale é vista com bons olhos pela designer de acessórios Fernanda Manço, de Goiás. “É muito interessante estar junto dessas empresas e participar desse encontro de marcas e conceitos. É um espaço importante principalmente para ampliar nossos contatos e dar visibilidade a nossas marcas”, afirma.

O projeto Contextualizar na Moda II é fruto de um convênio entre o Sebrae e o Instituto de Moda e Design, o In-Mod, e busca inserir esses empreendedores no mercado da moda. As empresas participaram de pré-seleções em 12 estados brasileiros para poder expor seus produtos na loja pop up do evento, a FFWSHOP.

Conheça três empresas participantes do projeto e saiba como elas pretendem chamar a atenção no maior evento de moda da América Latina.

Ecow

Ecow (Foto: Divulgação/Ecow)

Focada na sustentabilidade, a ECOW, Ecological Conscience on Wearing, produz roupas e acessórios para mulher brasileira das grandes cidades. “As pessoas estão muito acostumadas a olhar para o mesmo tipo de coisa. Essa repetição não chama a atenção de quem passa por uma vitrine. A nossa marca foi selecionada justamente porque foge dos acessórios que você encontra facilmente em alguma loja”, diz a empreendedora Renata Drummond.

Com estampas marcantes e bem-humoradas, as coleções são desenvolvidas a partir de matérias-primas que não agridem o meio ambiente e todo o processo de confecção e produção é feito em parceria com cooperativas de bordadeiras de Minas Gerais, incentivando o trabalho artesanal.

Tropicale

A marca mineira Tropicale leva até a SPFW lenços feitos a partir de fibras naturais, com estampas exclusivas, e que podem ser usados como vestidos, saias e diversas outras maneiras que as designers Júlia Martins, Luiza Miranda e Mariana Marrara explicam detalhadamente em vídeos que estão a um clique dos consumidores.

Na etiqueta de cada produto, é possível encontrar um QR Code, que direciona o cliente até os pequenos vídeos onde as sócias mostram as maneiras originais de utilizar os lenços. “Essa versatilidade de uso e as estampas desenvolvidas por nós três nos diferenciam das outras marcas”, diz Luiza Miranda.

Fernanda Manço Acessórios

Colar de Fernanda Manço (Foto: Divulgação/Fernanda Manço)

Diretamente de Goiás, a designer Fernanda Manço apresenta no evento produtos com referências da fauna e flora da região. “Estar presente em um evento como esse contribui para confirmar o design como produto cultural, de alto valor agregado”, afirma.

Assim como as mineiras da Tropicale, a marca registrada dos acessórios projetados por Fernanda são as novas maneiras de uso, como os colares que vão do ombro até as costas. “A ideia é permitir o uso criativo, lúdico e variado”, afirma. Seus colares e braceletes são produzidos com couro recortado à laser e metal banhado à ouro.

Créditos: Textile Industry